Todas Mulheres Em Mim Poesia | Claudia

Claudia

Dias atrás Claudia pediu a separação

E tudo foi tão amigável e limpo

O amor afina

O amor acaba

O amor…

Como uma goteira que se termina

Tinha certeza que era o melhor a fazer

Para ela

Para o filho

Para o destino

Marido deixou para trás os bens adquiridos

Queria apenas poder ver o filho

Tudo bem?

Claudia tranquila

Claudia certeza

Claudia seguia

Mas todas as estradas são impermanentes

Noites de solidão

Desagravos e desagrados semeando incertezas

Um serrote esquecido num canto

Tempo passando

Seu ex-marido se refez rápido demais…

Claudia que estava tão tranquila, não

Aquela felicidade a incomodava

 

Claudia sozinha e filho

Claudia inveja

Claudia vingança agora

O céu turvou-se de tempestade

Cegueira ferina depois

Indignidade de doentia

Ela usa o filho agora contra o pai

Culpando-o de todas a suas dores

Claudia cava o próprio abismo

Claudia carinhos de orgulho

Claudia tornando tudo pior

Me aproximei de Claudia

Perguntei: Claudia porquê?

Ela rosnou para mim

Seu silencio destilando desespero

Eu queria que ela se visse

Mas não aconteceu ainda

Simplesmente as vezes

Não há nada que possa fazer.

O inimigo é tão intimo

Que não o vemos.

 

Fio da Navalha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *