Todas Mulheres em Mim Poesia–Antônia

Dentro do Projeto Todas as Mulheres em Mim, vamos expondo uma sequência de poemas de convites que fizemos aos amigos do Fio da Navalha.

Estes poemas vão nos acompanhar dentro do projeto que está em aberto ainda e teremos muitas outras participações especiais, aguardem por mais.
Hoje trazemos a poesia: Antônia


Antônia

Ela mantinha um olhar distante
Entre desfiles de lembranças
As vezes um passado melhor
Um presente vivo
Quase feroz

Antônia para
Antônia resiste
Antônia ergue-se

Seca as lágrimas
Mas ainda existirão
Insolências
Abusos
Assédios
Calmos e silenciosos
Perenes doses de veneno
Que ela foi acostumando
Nada é pior que acostumar-se

Mas que passado é este Antônia?
Tão bom assim?
Um passado que aceitava
Calava
Não entendias o mal
E ao sorriso mais passivo
De um desencanto dourado
Passado

Antônia está diferente agora
Já não se engana tão fácil
Percebe

Antônia crescida
Perdeu aquela inocência
Antônia plena

Preço de crescer
Dor
Lagrimas
E não caber mais onde se está
Afinal asas não devem ficar dobradas
Antônia?
Você abriu as tuas asas hoje?
Sim
Tenho certeza que sim
Sorri.

Fio da Navalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *