Todas as Mulheres em Mim Poesia 2018 – Janaína

Janaína

Ela é, como um beijo suave
Nas pétalas da seda
Ondas serenas pela manhã
A vontade
Uma fagulha desejando incendiar
Gosta do que é simples

Janaina é
Janaina foi
Janaina será

Pensamento respirando emoções
Desejos transpirando em silêncios
Não quer se machucar mais
Mas esconde suas cicatrizes
Entre ontens e revezes…
Que por vezes gritam saudades
Por vezes Janaina suspira e se retorce
Tenta não pensar mais
Então
Torna-se firme
Rocha de espuma
Apaziguando inquietações
Suas e alheias

Janaina doce
Janaina diluvio
Janaina passos firmes

Por vezes pensa no amanhã
Filhos, amor, uma canção e ele.
Então respira
Melhor sempre amanha
Pior se finda nas caricias do ontem
Como o inverno afagando o verão
Sorriso de Janaina
Pólen fecundo
Florescendo lentamente suas rosas
Janaina
As rosas de Janaina.

Fio da Navalha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *