Poesia | A trilha dos animais selvagens

A trilha dos animais selvagens

A escuridão dos seus olhos,
a linha perversa do seu rosto
Armadilha macia
odorosa
e armadilha doce
aos poucos é esquecida

Trilha Furacão
com escombros em excesso
a caminhar através da montanha impenetrável,
perseguir o caminho dos animais
até que eu me perca as profundezas
da solidão
exausto

Eu nem sei onde estou
ou como voltar
As trilhas são apagadas na mata
Imensa e surpreendente
A estranha escuridão dos seus olhos
A noite cai.

Pedro Juan Gutierrez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *