O Fio da Poesia | Nada acontece duas vezes

Nada acontece duas vezes
e nunca acontecerá.
Nascemos sem experiência,
morreremos sem rotina.
Mesmo se fôssemos os alunos mais desajeitados
do mundo na escola,
nunca mais revisaremos
nenhum verão ou inverno.
Nenhum dia se repete,
não há duas noites iguais,
dois beijos que dariam o mesmo,
dois olhares nos mesmos olhos.
Ontem alguém dizia
seu nome na minha presença,
como se uma rosa de repente caísse
pela janela aberta.
Hoje, quando estamos juntos,
viro o rosto para a parede.
Rosa? Como está a rosa?
É flor? Ou talvez pedra?
E por que você, hora ruim,
se enreda em um medo inútil?
Você é, porque você está passando,
você vai passar – isso é lindo.
Sorrindo, nos abraçando,
procuremos nos encontrar,
mesmo que sejamos diferentes
como duas gotas d’água.
Wislawa Szymborska

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *