Navalhadas Curtas: Testando a empatia (Parte 2)

Saindo do banco respirei profundamente e na real não desejo mal a quem quer que seja, estamos todos em uma guerra informal tentando sobreviver a tudo isso.
Isso eu entendo.
Dobro na Bento Gonçalves e reparo que a cada sinaleira que paro tem duas, três, quatro pessoas pedido algo alguma grana.
Na próxima sinaleira que parei notei algo muito peculiar.
Uma moça que entrava folhetos de construtora famosa da cidade, ela entre carros parados meio que selecionava os carros ela entregaria os folhetos.
Bem acho de tá certo pensei em primeiro momento, afinal um bom carro indica bom investimento.
Mas infelizmente o critério não era esse.
Notei que ela não entregou o folheto para mim mesmo passando próximo a minha janela e não entregou para outro motorista negro que também ela passou ao lado.
Fiquei com a cisma eu devo estar errado.
Vamos fazer a prova então. Fiz um novo retorno para voltar a mesma sinaleira. Deu certo fiz o retorno e parei bem próximo da esquina praticamente ao lado da moça dos folhetos…e adivinhem?
Ela nem me olhou e foi entregando ao cara do meu lado e fiquei observando pelo espelho a dois carros de mim tinha um outro negro e advinha? Claro ela não entregou a ele.
Prova feita e realizada.
Entendi que eu não tinha a cor correta para o empreendimento.
Segui eu ainda precisava pagar a minha conta.
Fio da Navalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *