Marisa

Marisa olha-se no espelho
Se acha horrível
Percebe pouco de tudo…
Emoções distorcidas
Felicidade de barbante
Borboleta com saudade do casulo
Marisa queria ser o que não é…
E nunca será
A projeção fecunda
Das rosas feitas de vinil
Marisa cega
Marisa pesada
Marisa uma lágrima
Então
Acha que tudo é uma mentira
Muda revolta sem canção
Labirintos permeando a alma
Marisa, Marisa..
Ta me ouvindo?
Nada é exatamente assim
Não cultive culpas entre samambaias
E espelhos, dizem tão pouco
A verdade se molda ao que sentimos
Marisa cólicas
Marisa quer um carinho
Marisa afasta-se do espelho
Este dia esta cinza
Uma tempestade que se aproxima
E nada disso faz a menor diferença
E agora Marisa?
Beco sem saída…
Lastimas ecoando e lábios trancados…
Minha mão se entrelaça a tua
Nossas asas se abrem sobre o abismo
E o medo se foi… Por debaixo da porta
Você ficou
Em mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *