Fio da Literatura | Insaciável Homem Aranha

Fio da Literatura – Insaciável Homem Aranha

Trecho Solto…

“ Por volta das seis da tarde o tempo nublou e começou a chover com muito vento. Era um aguaceiro torrencial. Fechei as janelas e coloquei numero dois de Brahms, em fá maior. Servi para mim um copo de rum puro, e fiquei olhando detidamente aquela torrente de água se precipitando sobre o mar e sobre a cidade.

Ando pela casa e rejo a orquestra. Allegro no tropo. Rejo com perfeição. Isto é que é vida! A solidão, a música perfeita, o rum, a fúria da água e os trovões. E eu esplendido e maravilhoso exemplar único.

Todas as minhas mulheres do bairro que detestam sinfonias e a opera. Mas não importa. Aqui estou eu sozinho.
Me embebedando com meu sócio Brahms.
Tirei o short e a camiseta e sai nu para o terraço para me encharcar no diluvio frio.

Os relâmpagos e os trovões. Tudo ao meu redor esta cinzento. Uma torrente cerrada de chuva cai sobre a cidade, e escuto Brahms vibrando. Allegro com spirito.
Que porra!
Eu, o melhor de todos!
Quem disse que não vale a pena?!”

Pedro Juan Gutierrez – O Insaciável Homem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *