Eliana

Eliana abre os olhos
E esta ansiosa, outra vez…
Não ter algumas respostas
A inquieta…
Eliana desassossegos
Eliana tensa
Eliana treme
Em linda manha de sol
Fogo do querer…
Consumindo… consumindo
São tantas e tantas as perguntas
Uma prece tecida de “serás ?”
Alguém irá me amar?
Terei filhos um dia?
Vou ser promovida?
Terei dinheiro?
Será que ele, tornará a falar comigo?
Eliana não quer levantar
Eliana fuga e refém
Quer o carinho de uma mão invisível
Quer trégua de tantas duvidas
Eliana, suas plantas no jardim secaram…
Rosas e sede
Braços da natureza
Cobertas amassadas
E cabelos em desalinho
Mas…
A beleza sussurra no intimo
E tais duvidas se derramam
Como beijos de esperança
Eliana se acalme
Eliana levante…
Eliana batom vermelho
Eliana paixão que acorda
Passos mais tranquilos
E desejos vivos
Manhã e vidraça
Coragem que bebe coragem
Manha e trabalho
Respostas depois
Aquieta, quieta e inquieta
Eliana sorri…
Lentamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *