Trilhos

Trilhos

Como o tempo em liquido sibilar

Vasto entre traços viscerais corroídos

Lentamente deixa

Vestígios da existência

Afagando gentilmente o que se dispersa

Assim tudo

Sumindo

Sumindo

Entre metáforas de uma evolução

Oxidando passados

Belezas que expiram

Fazendo de memórias o esquecimento

Parindo uma nova versão

Que ainda vamos vir a saber.

Amanhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *