Todas as Mulheres em Mim – Poesia – Glória

Dentro do Projeto Todas as Mulheres em Mim, vamos expondo uma sequência de poemas de convites que fizemos aos amigos do Fio da Navalha.

Estes poemas vão nos acompanhar dentro do projeto que está em aberto ainda e teremos muitas outras participações especiais, aguardem por mais.

Hoje trazemos a poesia: Glória.


Glória

Glória chega em casa

Esta exausta

O dia pesa e sua cabeça também

Joga-se no sofá

Acende um cigarro

E ali seu momento de Glória

Deixa o silencio preencher os vazios

Se deixa levar por…

Glória uma tragada

Gloria quietude

Gloria quer ar

Não gosta de estar assim

Precisa que alguma coisa arranque a solidão

Liga a televisão

Liga o rádio

Acende todas as luzes

Então telefona para uma amiga

Fala, fala e fala,

E não diz absolutamente nada

Lembra de Francisco

O quanto o amava

Até que descobriu tudo

A verdade não foi boa para ela

A verdade estragou sua vida

Descobrir a outra, foi o pior que podia ter ocorrido

E por um breve instante

Desejou que sua vida fosse ainda uma mentira… por favor…

Gloria olhos vendados

Gloria resvalando em sonhos

Gloria viagem ao passado

E como concertar isso Glória?

Seus olhos se enchem de lagrimas

E o coração quer voar novamente

Mas não consegue

Observo Gloria e a chamo para perto de mim

E abraço forte

Sou o dique de suas dores

Gloria não é assim

Não precisa ser assim

O futuro é uma promessa

Mas as correntes devem ser rompidas

Abandonar os estragos

Aliviar o navio da velha carga

Para que ele flua

Beijando as marés

Glória…

Venha Glória

O tempo nos carrega

E o amanhã não espera por ninguém

Gloria sorri

Gloria asas que se abrem

Gloria voou

 

Fio da Navalha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *