Fio da Poesia – Thomaz Teixeira

Fio da Poesia trás nesta edição o Thomaz recitando seu poema Hipócritas, a verdade de um tempo que estamos vivenciando, de crises das mais diversas e nem se fala em politica…viu…

Então com as armas que temos
para lutar a boa luta em busca da beleza, arte e dignidade e também porque não dizer, de reconhecer nossas próprias fragilidades…

A poesia de Thomaz vem visceral e profunda
em tempos tão diversos
tanto mais a dizer e mais, não é mesmo?
Mas me calo e que o encanto da poesia
entre palavras e imagens…seja.

Dos Hipócritas

Dos hipócritas que conheço nenhum deles é tão vil como eu
Quicá notadamente nem hipócritas o são
Eles em sua maioria pequenos varões
Filhos fardados
Amordaçados
E nessa pano que sufoca
Embebido de prazeres
Se aconchegam
Se deleitando
Enquanto houverem fardas
Vendas
Mordaças
Um poder herdado talvez conquistado
Ou uma busca por confortos
E confrontos
Que segue e segue…
Como poderão ser hipócritas estes de quem falo ?
Os mesmo que não reconhecem a situação que estão?
Não…não
São apenas crianças
Aprendendo com um passado
Para viver num futuro rico
Esquecendo do presente surdo de não reconhecer a pobreza como um fruto
Eu estive mudo
Vestindo fardas
Usando panos
Fico aqui agora, questionando tudo
Um tijolo no muro
A ovelha no pasto
A prisão do mundo
Então meus caros, de bom grado lhes confesso
A hipocrisia esta presente em meu ser
Como em qualquer outro dotado de ego.

Poesia DE Thomas Teixeira da Costa.

Realização
Fio da Navalha
Arte & Comunicação

Dos Hipócritas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *