Fio da Poesia-A Espera

A espera que…

Estou a espera…
Como a ponte espera
O que vem
O que se vai…
Estou a espera…sim

Que dores se convertam em flores
Do tempo fazendo sua magia leve
Breve
Rápido
Ontem e amanhã
Tecendo novos caminhos
Tragando novas costuras
Na vista que me falta

Quando perenes sombras deitam
A espera do vento bom
Que ele carregue os traços duros do existir
E sorria pandorga e alma
Descascando destinos perenes

Espero sim
Que o olhar denso se desfaça
Como um castelo de areia a beira mar
Entre risos e emoções simples
A espera …
Que as frases se completem entre hiatos
Que um sorriso visite o meu vez em quando
Nas dobras que nos cercam
A beira da esquina que se dobra

A espera
Do amanhecer
Vivendo luar…
Sorvendo fiapos da beleza.

Fio da Navalha.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *